Seguidores especiais...


Não devemos permitir que alguém saia da nossa presença sem se sentir melhor e mais feliz. Que a partir desta visitinha sua aqui vc possa se sentir mais feliz...bjs obrigada por me fazer feliz...A amizade deveria ser algo completamente sem interesses, como nossos olhos. Eles piscam juntos, eles se movem juntos, eles choram juntos, eles vêem coisas juntos e eles dormem juntos, embora eles nunca vejam um ao outro estão sempre juntos..."Que seja assim nossa amizade..

terça-feira, 30 de agosto de 2011


LEIA PARA SEU FILHO





"Era uma vez" é o começo de uma história que pode fazer toda a diferença no desenvolvimento infantil. Quando papai e mamãe - professores e até irmãos mais velhos - se sentam com os pequenos para ler um livro ou contar uma historinha, mais do que um mundo encantando de fantasia, eles estão descortinando uma verdadeira experiência de aprendizado. Para completar, essa aula ainda pode ser transformada em momento de intimidade e amor familiar que, muitas vezes, se perde em meio ao caos do dia a dia.

Ao lado de bonecas e carrinhos, ela funciona como um mediador da relação entre a meninada, os adultos e o mundo. É por meio dessas atividades, e do contato com o imaginário e com a ficção, que meninos e meninas descobrem e expressam sentimentos que não conheciam ou ainda não eram capazes de compreender. Como a linguagem verbal ainda é incipiente, a forma natural de expressão são a imagem, o jogo e o faz de conta. Enquanto os personagens enfrentam coisas estranhas, a garotada adquire conceitos e vivenciam experiências valiosas.

O famosos "senta que lá vem história" não tem momento certo ou idade mínima para começar. Como uma esponja, a criança tende a absorver tudo que os adultos ao seu redor fazerm. Portanto, se os pais leem, as chances de os filhos se tornarem leitores é enorme. A pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, do Instituto Pró-Livro, uma associação sem fins lucrativos cuja missão é fomentar a leitura e a difusão de livros, revela que um em cada três leitores brasileiros se lembra de seter visto a mãe lendo alguma coisa.

O levantamento mostra também que 49% do público adulto considerado leitor, ou seja, que leu pelo menos um livro nos últimos três meses, se refere à figura materna como a pessoa que mais o incentivou. Entre garotos e garotas, esse número sobe para 73%. Mas os pais também têm um papel de destaque nesse cenário. Afinal, 30% dos leitores os consideram como maiores responsáveis por incutir neles o prazer de conjugar o verbo ler.

Por falar em verbos, não importa se lemos ou contamos histórias, ambos desenvolvem a criatividade, imaginação e o raciocínio lógico da meninada. Estudos indicam, inclusive, que a leitra em voz alta na primeira infância melhora o desempenho escolar. O mais importante é a interação: ao desenhar, modelar ou recontar uma históira, a criança põe para fora fatos do seu próprio mundo. A literatura também pode colaborar no tratamento de traumas, doenças e dificuldades psicoemocionais. No final das contas, isso ajuda a melhorar a imunidade e até traz benefícios ao corpo e à mente infantis.  Costumo ler para o Daniel e a Débora e coloco fatos da vida real até para tocar em algum assunto,como obediência, brigas etc eles adoram e nunca esquecem o nome dos personagens, não precisa ter livros com histórias incríveis basta cria-las... então vamos lá pegue um livro uma revista um caderno e deixe a imaginação fluir... 



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo seu carinho....vc é muito importante para mim.

meus selinhos amados...

meus selinhos amados...

Receba as novidades do blog por Email

Total de visualizações de página